quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Última luz

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: Jon Jacobsen)

Irradiado.
No meio do caos.
Terremoto de imensuráveis graus.
Quem foge é , o coitado.

Que já segurou firme na cortina, a rasgando.
No túnel criado pela destruição,
surge a mão,
que não vem só para ajudar.
Mas para levar...
A vontade de viver.

E não há um porque.
Nos pés descalços que corriam e brincavam na sala.
Impactou o barulho, caindo até a TV.
O suspiro surpreso com mão esticada, parecia ser,
mas era mesmo!

O divino cuidando do ser.
Imagine esse resgate, fechando os olhos.
Terá de ver no escuro pra crer.
Transpirando a escrita que existe dentro de você.

Produção: 28 de Agosto de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário