quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Lagoa de garoa

(Pedro Paulo Marra)


(Foto: divulgação)

O parque.
A garota.
O garoto.
As folhas.
A primavera.
O lago.
A melodia dos pássaros.
Vagarosamente vão dando os passos.

O parque ganhou um tom sublime.
Repetidos encontros.
Onde já deram muito pão aos pombos.
E quem se redime?
Desse belo ar de Outubro.

Agora...
A mulher.
O homem.
Possuem um aroma.
Advindo desse bioma.

Na sombra do guarda chuva,
são eles, andarilhos da garoa.
TOC TOC TOC no chão.
Sapateiam no molhado o frescor da lagoa,
onde para sempre andarão.

Produção: 30 de outubro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário