domingo, 2 de abril de 2017

A escapada

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: divulgação)

Na calada da noite,
há um clarão, mas está longe.
Mas também longe de ser um açoite.
E Lilian não se esconde.

O balanço de seu vestido,
como uma cortina beijada por ventos,
é a demonstração do perigo.
Que corre junto dela neste momento.

Sujarás os pés sem consentimento.
Mas há um alento!
Há um motivo de Lilian correr contra o vento.
Quer ser única.
Fugir de seu marido violento.

Quer se sentir livre e feliz ao mesmo tempo.
Ela é o símbolo.
Símbolo de promiscuidade, levada pelo vento.
Ao relento...
Lilian busca o amor a cada momento.

É digno o sentimento.
De olhar o incerto,
e querer algo certo.
Mesmo no sofrimento.

Sim...

É um sublime momento.

Produção: 22 de março de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário