sábado, 3 de junho de 2017

Brasília poética

(Pedro Paulo Marra)

(Foto: disponível)

Minha vida urbana tem uma legião.

Meu João é de barro.

Meu lobo é guará.

Meu plano tem piloto nessas andanças.

Onde não ando de carro,

só de zebrinha.


E Brasília não é só minha!

Também das cidades-satélites,

naturais do cerrado,

das feiras populares, cada coisa linda.

E o espelho dessa grandeza tão rica?

Onde fica?


Lago Paranoá, o espelho ideal.

Nele, verás o camaleão do cerrado,

basta olhar para cima.

Vosso céu ora laranja, ora azul piscina.

Que clima!

E isso não é só poesia...


É Brasília!

Produção: 26 de maio de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário